Eu velho? Mário Mércio agente Penitenciíario

Penitenciaristas na Segurança Pública

AP Mario Mercio

Agente Penitenciário Mário Mércio

31  Maio – mario.mercio@gmail.com

Col 19

EU VELHO?

 

Diariamente me vejo refletido no espelho.

Tento observar as diferenças, mas como já estou acostumado não tenho a capacidade de notar as diferenças, que, por exemplo, meu filho vê quando vem me visitar do Canadá a cada dois anos. Vejo e sinto que ele me observa e entro em seus julgamentos: “—meu pai tá ficando velho”.

Ai pensando bem aquela ruguinha ali não existia, mas vagarosamente, imperceptivelmente ela aparece em pequenos mapas que o tempo não perdoa. Religiosamente ela fica ali e não sai mais por mais que a estique… É a passagem branda dos meus dias.

Mas não são só as ruguinhas, é a flacidez da pele e a gravidade cotidiana e crescente que me aproxima do chão—como diz o escritor Henrique Schneider – E torna um pouco mais lento e pesado os meus passos.

Mas eu me cuido, sei que um tombo pode me ser fatal  nesta idade e que a cura é demorada e dolorida.

Os dentes já não são tão fortes e brancos, amarelam e não doem, mas não possuem mais raiz, mas quebram, e lá vou eu ao dentista emenda-los com resina.

Mas embora meu espelho reflita com boa claridade eu não vejo a velhice estampada e foi de repente que vi a diferença…. Não é o rosto que mais envelheceu, nem o corpo que é saudável e forte (até a pg 20).

É o olhar. Não os olhos que continuam a ver muito bem, mas de óculos.

É o olhar, sim, o olhar.

Há certa dureza nova neste meu olhar. Algo que foi nascendo aos poucos e se instalou em meu rosto, como um peso que vai além do necessário e normal.

O tempo, as vicissitudes, as preocupações- diz o escritor – É a maioridade da vida sacrificada, tudo isso, dia após dia, foi se formando uma máscara no meu olhar, sem que eu percebesse.

Assim como uma névoa, igual a quem descola a retina, fez de meu olhar uma seriedade sem brilho, que agora me incomoda e deve incomodar a quem observo, pois faltar brilho, talvez aquele brilho da juventude, da esperança, da fé, aquele brilho do gol, do grito de alegria e festa. Mas enxergo bem ao longe, mas de perto me atrapalho e uma nuvem paira ali.

É amargo perceber isso, mas meus olhos seguem castanhos escuros, mas não são os mesmos.

Eu queria ter de volta aquela inocência do olhar, mas a vida machuca, caustica, sacrifica. A vida é dura, muito dura e eu não sou mais uma criança, já estou velho. Ainda bem!

E me resigno: quantos não chegam até a minha idade?

31  Maio – mario.mercio@gmail.com

MM 21 mar 16

“… da onça” Mário Mércio Ag Penitenciário

Penitenciaristas na Segurança Pública

Agente Penitenciário Mário Mércio

27  Maio – mario.mercio@gmail.com

Col 18

O AMIGO DA ONÇA

amigo da onçaQuem tem mais de 60 anos e leu a revista O CRUZEIRO, conheceu o Amigo da Onça, Uma charge imortal do cartunista Péricles, e que foi levada adiante pelo Carlos Estevão, inclusive com passagem por São Gabriel/RS, onde foi casado com a Profa. Odete Trindade, que me passava as aulas de Português.

Hoje em dia num mundo globalizado a importância da fidelidade dos amigos é muito rara.

O “Amigo da Onça” retratava isso mesmo. O falso amigo. Aquele que não é amigo de ninguém, conhecido por cafajeste, debochado até.

Por isso existem pessoas que não confiam em ninguém, pois as falsidades campeiam por todos os lados.

Isso se vê no cotidiano, na política e até no esporte.

Hoje temos os amigos virtuais e não é raro um desses, que a gente nem conhece, mas que está ali no nosso face como AMIGO, de repente faz uma critica, lhe põe prá baixo mesmo.

Se é amigo não deveria fazer isso, se não concorda então se abstenha de opinar, mas se houver necessidade de fazê-lo que o faça “in box” para corrigir algo ou alertar.

MAS A MAIORIA DAS PESSOAS SÃO BOAS E ESTABELECEM O DIÁLOGO DENTRO DE UMA NORMALIDADE LÓGICA E COERENTE.

Segundo o filósofo Aristóteles – nos diz o escritor Jackson Buonocore – os homens maus tem amizades de acordo com o seu prazer e utilidade e NUNCA terão uma amizade perfeita.

São amizades efêmeras que existem somente como meio para chegarem a um fim, ao contrário dos bons que estabelecem a amizade em todos os aspectos positivos com exigências invulneráveis as intrigas e mentiras.

E completa: Neste mundo de incertezas, a amizade é, pois, uma virtude muito necessária à vida. São laços entre pessoas com sentimento de lealdade, proteção, intimidade, reciprocidade, ajuda mútua, compreensão e confiança.

E isso não é utópico. Existe sim muita amizade verdadeira. Pois não adianta sermos ricos ou com bons empregos, vivermos muito bem, viajar e curtir a vida, se não temos amigos nunca seremos felizes.

Confidentes e cúmplices, além de familiares, temos alguns amigos e isso é muito importante na vida.

Divergências e diferenças sempre há de haver, mas uma boa amizade se mantém nelas. O Amigo da Onça é só uma charge, que para os verdadeiros amigos não passa de uma gozação saudável, hilária e muito alegre.

27  Maio – mario.mercio@gmail.com

MM 21 mar 16

“Violência e Soc…” Mário Mércio Ag Penit

Penitenciaristas na Segurança Pública

AP Mario Mercio

Agente Penitenciário Mário Mércio

23  Maio – mario.mercio@gmail.com

Col 17

VIOLÊNCIA E SOCIEDADE

.

Não adianta tentar coibir a violência das ruas, sem se pensar que ela está relacionada à animosidade do cidadão num contexto maior ao chamado contrato social.

Sim é aí que estão estabelecidas s regras de tolerância e convivência entre as pessoas– nos ensina o doutor em Ciências Sociais Prof. Aloísio Ruscheinsky.

Não basta pensar somente na violência física, essa que vemos e assistimos no dia a dia em nossas cidades, mas em outras formas que essa mesma violência se estabelece entre nós.

É assim nos jogos de futebol, aquela algazarra desenfreada e até incompreensível para nós, pois não leva a nada, nem a vingança, nem a desafetos, somente pelo prazer louco de atracar e ferir. Também nas escolas o chamado bullying. Isso são agressividades quase espontâneas, gratuitas, sem nenhuma interpretação maior que não seja a falta de educação.

Por isso é muito importante se conhecer as causas para desenvolver onde está este grau de tolerância que se esgota tão rápido em qualquer ação conjunta de pessoas. Como nos casos de linchamentos e quebra-quebra e incêndio de ônibus.

De acordo com este professor entre as formas para se corrigir ou amenizar essas ações conjuntas de agressividade ou mesmo isoladas é promover junto aos jovens, estudantes em geral, projetos educacionais e resistência a drogas. O exemplo que realiza a Brigada Militar com estudantes de 9 a 14 anos no chamado PROERD.

Este projeto desenvolve nos jovens capacidades sociais, afastando-os da violência e das drogas. Mas para isso as comunidades precisam estar atentas e procurar os comandos das unidades em sua cidade e os aparelharem para este mister.

 É muito fácil criticar e acusar os jovens, mas é oportuno dizer que eles precisam de nós e como se vê, a segurança está ai ajudando em todos os segmentos.

23  Maio – mario.mercio@gmail.com

MM 21 mar 16

“Nas rotinas…” Mário Mércio AP

Penitenciaristas na Segurança Pública

AP Mario Mercio

Agente Penitenciário Mário Mércio

19  Maio – mario.mercio@gmail.com

Col 16

Central de Informação – Portal da Transparência – Secretarias e Órgãos /Segurança Pública

Publicação 09.05.2016 às 11:40

 

Agentes Penitenciários do Presídio Regional de Bagé participaram de ação integrada contra às drogas, prostituição e fiscalização de presos Bliz atuou contra diversas irregularidades em casas noturnas de Bagé .

Na noite da última sexta-feira (6), em Bagé, uma operação integrada contou com o trabalho de agentes penitenciários do Presídio Regional de Bagé no combate à prostituição, tráfico de drogas e fiscalização de presos que estão em domiciliares e ou foragidos.

BAGEOs alvos foram os bares localizados na Avenida Tupi Silveira, onde diversas infrações foram registradas:  apreensão de veículos cujos condutores apresentaram sinais de embriaguez, carteira de motorista vencida. Estacionamentos proibidos, documentos não licenciados e condutores sem habilitação.

Os bombeiros notificaram três estabelecimentos que mantinham alvarás irregulares. A vigilância notificou cinco estabelecimentos por não estarem de acordo com a legislação. Nenhum menor foi encontrado na zona de prostituição.

De acordo com o diretor do Presídio Regional de  Bagé, Júlio Jardim, não teve registro de apenados em atos ilícitos no decorrer da blitz.

 Várias frentes de fiscalização participaram da ação: Corpo de Bombeiros, Brigada Militar, Polícia Ambiental, Secretaria Municipal de Transportes e Circulação (SMTC), Secretaria Estadual da Fazenda, Vigilância Sanitária, Conselho Tutelar entre outros. Quase 30 agentes públicos atuaram na fiscalização.

19  Maio – mario.mercio@gmail.com

MM 21 mar 16

“Imprensa sempre” Mário Mércio AP

Penitenciaristas na Segurança Pública

AP Mario Mercio

Agente Penitenciário Mário Mércio

17  Maio – mario.mercio@gmail.com

Col 16

O INVENTO DO JORNAL

O alemão Johann Gutemberg o inventou utilizando tipos móveis, Já na era de 1.400.

Logo este extraordinário invento foi sendo aproveitado por todo mundo civilizado.

Tristemente o Brasil só teve sua primeira tipografia em 1808 e isso que por obra do acaso, pois Lisboa tinha comprado uma da Inglaterra e chegando na alfândega, foi confundida com remessas ao Brasil de caixas e aqui aportou. Custou cem libras esterlinas à coroa.

2Q==A primeira tipografia da Coroa chamou-se IMPRESSÃO RÉGIA, no Rio de Janeiro e foi assinada pelo então príncipe regente D.João em 13/5/1808.

Antes desse acaso, não interessava à Coroa portuguesa a comunicação escrita e o desenvolvimento cultural da colônia e procurou por todos os modos dificultar seu funcionamento., por isso demorou tanto. Houveram várias tentativas em Recife e Rio lá por 1747, mas foram acabando por não existirem tipógrafos experientes.

Portugal foi um dos primeiros países da Europa a usar o invento de Gutemberg, em 1464 e 65, antes mesmo da França, Inglaterra e Espanha.

Mas foi Hipólito da Costa que de fato trouxe a imprensa para o Brasil, com o jornal Correio Brasiliense, um mensário que abriu as portas para a imprensa, em 10/09/1808, no Rio. Por isso seu fundador é o Patrono da Imprensa Brasileira.

No Rio Grande do Sul, conhecido como Província de São Pedro, teve sua primeira tipografia por iniciativa do Marquês de Barbacena, Felisberto Caldeira Brant Pontes, em 5 de fevereiro de 1828, na Imperial Tipografia do Exército..Como o foram antes na Proclamação da Independência, na cidade hoje de São Gabriel/RS, quer depois seria fundada por D.Felix de Azara, um espanhol. A escrita era em a forma manuscrita. Mas foi adiada a inauguração da tipografia pela Batalha do Passo do Rosário onde a inferioridade das tropas imperiais e inabilidade de seu comandante Marquês de Barbacena, acabaram em fracasso e posterior danos ao maquinário do exército, que estava mal acomodado.

Como se sabe São Gabriel sempre foi um reduto militar, pela sua localização geográfica distante mais de cem quilômetros da fronteira com países do sul e noroeste, o que faz uma barreira.

Só no fim do ano foi instalada uma tipografia em Porto Alegre, chamada de Tipografia Rio-grandense, removida de São Gabriel, daquilo que sobrara após a Batalha do Passo do Rosário. Demorou muitos anos para funcionar pela primeira vez, embora já tivesse em São Gabriel todo o maquinário com prensas, tipos, tinta e papel que era escasso.

O primeiro jornal gaúcho foi o Diário de Porto Alegre, um órgão oficioso. Era uma só folha impressa dos dois lados medindo 22X30 cm, e custavam dois vinténs e sai todos os dias úteis até 30/6/1828.

Depois vieram outros, como O SENTINELA, O VIGILANTE, O ASTRO LIBERAL e outros, como “O AMIGO DO HOMEM E DA PÁTRIA’, E “CONSTITUCIONAL RIO-GRANDENSE” e “O IMPERIALISTA”

Era comum se ver notícias exaltando a liberdade, à pátria e ao governo representativo, em cada ocasião, aos líderes, como os Republicanos e os Legalistas.

A história da imprensa é longa e noutra ocasião vou escrever mais..

A pesquisa baseou-se no livro do primo
Dr.Gabriel Pereira Borges Fortes
– ESTUDOS HISTÓRICOS DO RS –

17  Maio – mario.mercio@gmail.com

MM 21 mar 16

“Em Bagé?” Mário Mércio AP

Penitenciaristas na Segurança Pública

AP Mario Mercio

Agente Penitenciário Mário Mércio

12 Maio – mario.mercio@gmail.com

Col 15

Central de Informação- Portal da Transparência – Secretaria e  Órgãos /Segurança Pública

Publicação 09.05.2016 às 11:40

Agentes Penitenciários do Presídio Regional de Bagé participaram de ação integrada contra às drogas, prostituição e fiscalização de presos Bliz atuou contra diversas irregularidades em casas noturnas de Bagé .

Na noite da última sexta-feira (6), em Bagé, uma operação integrada contou com o trabalho de agentes penitenciários do Presídio Regional de Bagé no combate à prostituição, tráfico de drogas e fiscalização de presos que estão em domiciliares e ou foragidos.

Os alvos foram os bares localizados na Avenida Tupi Silveira, onde diversas infrações foram registradas: apreensão de veículos cujos condutores apresentaram sinais de embriaguez, carteira de motorista vencida. Estacionamentos proibidos, documentos não licenciados e condutores sem habilitação.

Os bombeiros notificaram três estabelecimentos que mantinham alvarás irregulares. A vigilância notificou cinco estabelecimentos por não estarem de acordo com a legislação. Nenhum menor foi encontrado na zona de prostituição.

12 Maio – mario.mercio@gmail.com

MM 21 mar 16

 

“Notas atuais…” Mário Mércio Agente Penitenciário

Penitenciaristas na Segurança Pública

AP Mario Mercio

Agente Penitenciário Mário Mércio

10 Maio – mario.mercio@gmail.com

Col 14

Central de Informação – Portal da Transparência – Secretarias e Órgãos /Segurança Pública

Publicação 09.05.2016 às 11:40

Agentes Penitenciários do Presídio Regional de Bagé participaram de ação integrada contra às drogas, prostituição e fiscalização de presos Bliz atuou contra diversas irregularidades em casas noturnas de Bagé .

Na noite da última sexta-feira (6), em Bagé, uma operação integrada contou com o trabalho de agentes penitenciários do Presídio Regional de Bagé no combate à prostituição, tráfico de drogas e fiscalização de presos que estão em domiciliares e ou foragidos.

Os alvos foram os bares localizados na Avenida Tupi Silveira, onde diversas infrações foram registradas:  apreensão de veículos cujos condutores apresentaram sinais de embriaguez, carteira de motorista vencida. Estacionamentos proibidos, documentos não licenciados e condutores sem habilitação.

Os bombeiros notificaram três estabelecimentos que mantinham alvarás irregulares. A vigilância notificou cinco estabelecimentos por não estarem de acordo com a legislação. Nenhum menor foi encontrado na zona de prostituição.

De acordo com o diretor do Presídio Regional de  Bagé, Júlio Jardim, não teve registro de apenados em atos ilícitos no decorrer da blitz.

 Várias frentes de fiscalização participaram da ação: Corpo de Bombeiros, Brigada Militar, Polícia Ambiental, Secretaria Municipal de Transportes e Circulação (SMTC), Secretaria Estadual da Fazenda, Vigilância Sanitária, Conselho Tutelar entre outros. Quase 30 agentes públicos atuaram na fiscalização.

 

10 Maio – mario.mercio@gmail.com

MM 21 mar 16

“Mães, mães…” Mário Mércio AP

Penitenciaristas na Segurança Pública

AP Mario Mercio

Agente Penitenciário Mário Mércio

05 Maio – mario.mercio@gmail.com

Col 17

A MÃEZONA e seu símbolo frutífero

 

Diz a lenda que os anjos são capazes de ver coisas que nós humanos não enxergamos. Por óbvio!

O Dia das Mães é um desses momentos que precisamos enxergar com os olhos dos anjos.

Quando Deus criou o mundo e nós, obviamente, ele sentou-se para descansar debaixo de uma jabuticabeira. E foram ali que desfrutou á miúde os sabores da criação. (não lembro onde li essa comparação)

jaboticaba e os meninosJá tinha saboreado 13 Jabuticabas, um número histórico, quando percebeu o equilíbrio entre o doce e o azedo, entre o tamanho da fruta e o das sementes, verificou a casca dura e preta que contrastava com os tons claros e avermelhados e a suavidade da fruta. Notou com certo espanto e curiosidade que os frutos não davam após o florir, mas sim pendurados nos galhos da árvore, amontoados, acolherados uns os outros.

Como a vida: elas estavam juntas, irmanadas, nos galhos, nos troncos, não nas pontas. Possuíam mais segurança dessa forma, como famílias unidas.

E foi neste momento que decidiu que essa fruta seria a vida e o modus vivendi de sua criação.

Por isso o Dia das Mães é um dia sempre de surpresas, de momentos mágicos, assim como foi àquela jabuticabeira para Deus.

Ali estava o símbolo da família, uma fruta precisa da outra para continuar bonita e saudável. E a mãe era o pé que abrigava todas as frutas. Elas só seriam doces, boas se sempre permanecessem juntas e bem cuidadas.

Filhos precisam de suas mães. Mães precisam de seus filhos. Cada um tem sua parte na árvore da vida. Só podem ser bons se estiverem juntos. Diálogo compreensão, amor, amizade, carinho, colaboração, são coisas que precisam parceiros. Um fruto cai, mas não germina longe e nasce dessa fonte de vida outra vida cheia de frutos que povoará a Terra e assim se fez a humanidade.

A jabuticabeira está lá, firme, como sempre, quando não pode mais dar frutos, dá sombra, paz e abriga as mudas, para que sejam fortes e serenas como ela. Viram avós. Avó é uma promoção, um prêmio.

Vamos degustar a vida do jeito que Deus fez, com o charme e o sabor da jabuticaba.

Mães que estão LENDO: FELIZ DIA DAS MÃES! Acolherem-se a suas crias, elas precisam!

Filhos que estão LENDO: Acolherem-se a suas mães, elas são tudo de bom….E ÚNICAS!

05 Maio – mario.mercio@gmail.com

MM 21 mar 16