O ESCRITOR E O CÚMPLICE

O ESCRITOR e o CUMPLICE.

 

Já se diz que escrever é um dom. Acredito que seja. Pois dom não se procura, não se acha, ele aparece.

Desde cedo me atraia escrever. Ganhei concurso de redações desde a tenra idade e isso me motivou.

Adorava ler aquilo que escrevia e meus pais me elogiavam. Essa “força” foi fundamental e decisiva. Não para ganhar dinheiro, mas como prazer e lenitivo.

 

Acho um dom precioso envolver-me em enredos carregados de emoção, onde vejo os personagens atuarem e citá-los para que outros leiam. É gratificante, mormente quando gostam.

 

Mas escrever é um compromisso, é preciso saber escolher os textos e temas que no momento é notícia. Não adianta escrever sobre frio em época de calor. Nem de natação quando for copa do mundo. É necessário surpreender o leitor, fazê-lo pensar mais sobre o tema e mostrar o outro lado da questão. Abrir mentes é fazê-las raciocinar, pois estamos limitados à mesma notícia e saturados de mesmices.

 

É uma insistência que ao escritor é necessário. Mudar conceitos.

Não importa se criticam. É ruim, mas é necessário.

 

O tema usado, o artigo escrito, repensado não pertence mais a quem escreveu, pois está publicado. E lendo, o leitor poderá mudar o texto, adaptá-lo a sua realidade.

 

O escritor está ai para colaborar, pois sua mente é educada a observar, nem sempre criticar, colaborar é possível e o leitor é o elo que o liga, um não sobrevive sem o outro.

 

São cumplices.

 

3ª. feira PASSADA (25/7) foi seu dia. Salve salve AOS INÚMEROS BONS ESCRITORES  DAQUI.

DIA DO ESCRITOR 24/7

TENTATIVA FRUSTRADA NA PASC

Em menos de 24h, mais um drone foi abatido pelos agentes penitenciários, por volta das 20h, nesta quarta- feira (26), na Pasc

 

No equipamento continha dois celulares, dois carregadores e cocaína. Para o diretor do Departamento de Segurança e Execução Penal, Ângelo Carneiro, as tentativas de levar materiais ilícitos por meio de drone é um ato de desespero dos presos devido a intensificação de revistas nos estabelecimentos prisionais. Ângelo destacou a atuação dos servidores. “Até agora, nove drones já foram flagrados no perímetro da Pasc, sem êxito algum em conseguir deixar drogas e celulares lá”, disse o diretor.

 

BASE: Susepe.

Nenhuma sentença agrada a todos

NENHUMA SENTENÇA AGRADA A TODOS

 

Metade do país já sabia que Lula seria condenado.

 

A outra metade está dividida entre os incrédulos que continuam não acreditando na eficácia e os que não estão nem ai. Os neutros.

 

Vivemos num pais com maioria de ignorantes, pessoas que não estão nem ai para política, só futebol e, se der, fazem uma fezinha no “jogo do bixo”, no barzinho da esquina.

 

As provas contra Lula não eram inverossímeis, eram públicas. E é sabido que nessa seara jurídica elas são difíceis de serem conseguidas, e a nossa legislação colhe-a de várias maneiras, uma delas, a de testemunhas, depoimentos, perícias, contradições e evidências. Não necessita ser cabal, ser provada com “móvel do crime”, como uma arma, um pau. Ai se parte para a objetividade e a convicção.

 

Elas são robustas. Mas mesmo assim, essa parte “incrédula”, por conveniência, interesse, fanatismo, não acredita. E contra isso, não há nada a se fazer.

 

Lula já deu o que deveria dar. Teve seu apogeu. Mas como não estava preparado para tanta fama e pensando na sua família, resolver “dar o pulo do gato”. Literalmente!

 

E agora acabou. Nenhum brasileiro de sã consciência teria coragem de outorgar-lhe a presidência do país. Só se for do time dos “fanáticos”, que não há nada a fazer mesmo.

 

O prof. da FGV Ivar Hartmann é enfático: “ As instituições como a PF e PGR e TC, estão fazendo tudo, como talvez nunca fizeram, que esperássemos delas.

 

O Brasil está, de fato, numa plena democracia, onde ninguém, ninguém mesmo, está acima da Constituição. Elas estão funcionando, e bem.

 

Mas, alguns precisam entender que não é viável exigir resultados que sempre nos agradem.

O CONTRAPONTO

O CONTRAPONTO: EXEMPLO DE BRASILEIRO

 

Leio com  bons olhos sobre a vida de ROBERTO CAMPOS, que completaria em abril 100 anos de idade.

 

Mas faleceu aos 84  anos, deixando um vazio na paisagem CULTURAL E INTELECUTUAL  do país.

 

Exemplo de homem público, brilhante economista, ministro, embaixador, senador, deputado e escritor, um intelectual multifacetado.

 

Foi um aguerrido defensor do liberalismo, sempre à frente de seu tempo.

 

Anteviu o DESASTRE da PETROBRÁS e preconizou o FRACASSO da nova Constituição Brasileira, que  abriu muitas vantagens ao povo em 1988, ao promover o desenvolvimento e superar a pobreza sem que o país tivesse condições econômicas de fazê-lo.

 

Ficou marcada a sua imagem sentado a um canto do parlamento de cabeça baixa, pensativo, quase deprimido, enquanto os demais parlamentares liderados por Ulisses ovacionam a promulgação da Nova Constituinte.

 

Essa Constituição alardeada como dos MISERÁVEIS, CIDADÃ, estava na contramão da história e da realidade do país. E Hoje quase 30 anos depois o pais precisa de reformas URGENTES para não sucumbir, tanto na PREVIDÊNCIA SOCIAL como no TRABALHO e na POLÍTICA.

 

O país do jeito que está ficou ingovernável—diz o economista José Pio Martin—e com razão.

 

Na contramão da euforia, ROBERTO CAMPOS alertava que a Nova Constituição era o “avanço do retrocesso” e em poucos anos ficaríamos ingovernável. Nada mais profético.

 

Os políticos e o povo em vez de encorajar e intensificar o poder público em PRIVATIZAR alguns setores do governo que são deficitários como PRESÍDIOS, ESCOLAS E HOSPITAIS,  ampliam-se concursos e o inchaço da folha de pagamento, QUE ESTÁ ISUPORTÁVEL aos aposentados e pensionistas, beneficiados pela Constituição de 1988.

 

Os governos federal e estadual falidos precisam URGENTE de  repensar sua política. Não em prol de alguns funcionários, sindicatos e políticos, mas em prol da POPULAÇÃO que é a que mais sofre com o excesso de benesses. Era disso que ROBERTO CAMPOS falava.

Nossos direitos

AP Mario Mercio

Agente Penitenciário Mário Mércio

30 maio 2017  –  mario.mercio@gmail.com

Veja todas as colunas do Agente Penit Mário Mércio

Tem gente que é contra nossos direitos. É verdade!

São contra os direitos humanos e nós somos o que? A concepção de Direitos Humanos surgiu em 1948 na ONU, como instrumento para garantir a dignidade das pessoas. Todas as pessoas, mas sabemos que as que mais sofrem são as mais pobres, as doentes, os velhos, negros, prostitutas e homossexuais.

Maldosamente, alguns não querem abrir mão de suas tortas convicções e acabam enxovalhando a atuação de organismos de defesa destes direitos, com a falácia que eles defendem só bandidos. Bandido também são humanos e para eles existe a lei. Pois os Direitos Humanos existem para defender o direito de todas as pessoas, mas sempre vai haver alguém insatisfeito.

Não podemos querer esconder as mazelas da sociedade e nem pessoas que cometem crimes, mas precisamos ENTENDER que são pessoas CRIADAS por esta mesma sociedade. Eles devem ter o mínimo de dignidade preservada, para que possamos um dia ter a esperança que elas estão recuperadas ao convívio social. É o caso da Cracolândia.

Vislumbramos nos grupos sociais, mormente FACEBOOK, críticas a esse direito. Mas me espanta funcionários públicos, também do sistema penitenciário, atitudes preconceituosas, mais notadamente sobre assistência aos reclusos, com chavões escandalosos. Acho muito chato, deselegante e temerário criticar esses paladinos da justiça e está na hora de se desfazer essa ideia distorcida de nossos direitos.

Quem tem emprego, casa, comida quentinha, nem quer saber que existem legiões de desassistidos por ai em flagrante desrespeito a seus direitos.

Insistir em não entender isso é no mínimo estreiteza de intelecto.

Ai pergunto: quem vai se importar com aqueles que estão na rua e são agredidos, como menores desamparados e idosos abandonados? E viciados perdidos? Com mulheres prostitutas ou nos que buscam ganhar suas vidas de maneira contrária aos nossos princípios? Presos, índios, ciganos, negros, pobres e deficientes e viciados que são marginalizados? É para

isso que existe os Direitos Humanos, para lutar por causas que ninguém quer ver, lutar ou trabalhar.

Devemos louvar essa gente que se dedica a este mister tão sacrificante, incompreendido, mas louvável em todos os sentidos.

Por isso se ALERTEM!

30maio 2017  –  mario.mercio@gmail.com

Veja todas as colunas do Agente Penit Mário Mércio

mercio4

Perdidos e achados

AP Mario Mercio

Agente Penitenciário Mário Mércio

29 maio 2017  –  mario.mercio@gmail.com

Veja todas as colunas do Agente Penit Mário Mércio

Se raciocinarmos com calma, veremos que nossas perdas na vida são causadas, na maioria das vezes por nossa própria culpa — o esquecimento.

Esquecemos e acabamos perdendo algo. É bem assim… Que cabeça!

Não podemos perder nada que não temos, mas perdemos somente o que já temos—por lógico.

Por isso, certamente, só somos donos apenas daquilo que USAMOS.

Em casa, por exemplo—só somos donos de fato dos cômodos que usamos, aquele outro cômodo é do filho, do neto ou até do cãozinho. E eles geralmente mostram que são donos de seu pedaço.

O resto é acúmulo—nos diz o escritor Jeverton Lime- advogado.

Não podemos possuir o quer não vivenciamos.

Por isso, se continuarmos raciocinando com lógica, veremos que temos muito menos do que pensamos ter.

Se juntarmos tudo que deixamos de lado durante nossa trajetória de vida, como cacos de objetos, literalmente reunir desejos, amores, mágoas, tudo num saco de andrajos, teremos algumas surpresas.

Surpresas como a dor de uma perda, o beijo roubado da namorada descuidada, as coleções de medo, as colas na escola, o gol que podia salvar o time, o concurso fracassado e algumas incertezas.

Estas perdas estão em nós. Ficam ali aninhadas, mas um dia acordam e viram lembranças.

Assim somos. Um ser humano falho, mas único.

29 maio 2017  –  mario.mercio@gmail.com

Veja todas as colunas do Agente Penit Mário Mércio

mercio4

A audiência de lula

AP Mario Mercio

Agente Penitenciário Mário Mércio

14 maio 2017  –  mario.mercio@gmail.com

Veja todas as colunas do Agente Penit Mário Mércio

Ou interrogatório. Li e concordei com muitas opiniões sobre este fato. O presidente saiu-se bem. Mostrou que não é à toa que foi presidente. Vivaz, esperto e solto. Pouco nervoso.

Quem vê o Juiz Sergio Moro não se sente constrangido, pois o magistrado aparenta ser boa praça, calmo e educado. Para um deseducado como Lula, que chegou a dizer impropérios na audiência, isso soa como vantagem para ele.

Mas lendo um artigo do Prof. da FGV Ivar A.Hartemann, esse diz que a grande comoção do fato foi o ineditismo, isso é um ex presidente no banco dos réus.

Não estamos acostumados a isso, num pais aonde só ali vão negros e pobres.

É a diferença daqueles que sempre são punidos pela justiça criminal e aqueles que nunca são.

Mas, como se viu, vamos tornar a ver até ficarem normal estes fatos, isso é, pessoas ricas, “importantes” e famosas serem julgadas com igualdade pelos juízes.

Até mesmo os juízes estão se acostumando com isso.

A Lava Jato tem colocado por terra, gradualmente, a ideia de que ainda existem intocáveis no Brasil.

É o caso dos mega empresários Eike e Marcelo Odebrech. De ministros, senadores e deputados.

Talvez nos próximos anos veremos com mais frequência poderosos sendo interrogados, sentados frente ao mesmo tipo de juiz que julga os demais brasileiros, sem privilégios.

Talvez um dia a situação de igualdade perante a lei não choque mais o povo, como dessa vez e que esses fatos sejam normais numa democracia avançada e mais correta.

14 maio 2017  –  mario.mercio@gmail.com

Veja todas as colunas do Agente Penit Mário Mércio

mercio4