O ESCRITOR E O CÚMPLICE

O ESCRITOR e o CUMPLICE.

 

Já se diz que escrever é um dom. Acredito que seja. Pois dom não se procura, não se acha, ele aparece.

Desde cedo me atraia escrever. Ganhei concurso de redações desde a tenra idade e isso me motivou.

Adorava ler aquilo que escrevia e meus pais me elogiavam. Essa “força” foi fundamental e decisiva. Não para ganhar dinheiro, mas como prazer e lenitivo.

 

Acho um dom precioso envolver-me em enredos carregados de emoção, onde vejo os personagens atuarem e citá-los para que outros leiam. É gratificante, mormente quando gostam.

 

Mas escrever é um compromisso, é preciso saber escolher os textos e temas que no momento é notícia. Não adianta escrever sobre frio em época de calor. Nem de natação quando for copa do mundo. É necessário surpreender o leitor, fazê-lo pensar mais sobre o tema e mostrar o outro lado da questão. Abrir mentes é fazê-las raciocinar, pois estamos limitados à mesma notícia e saturados de mesmices.

 

É uma insistência que ao escritor é necessário. Mudar conceitos.

Não importa se criticam. É ruim, mas é necessário.

 

O tema usado, o artigo escrito, repensado não pertence mais a quem escreveu, pois está publicado. E lendo, o leitor poderá mudar o texto, adaptá-lo a sua realidade.

 

O escritor está ai para colaborar, pois sua mente é educada a observar, nem sempre criticar, colaborar é possível e o leitor é o elo que o liga, um não sobrevive sem o outro.

 

São cumplices.

 

3ª. feira PASSADA (25/7) foi seu dia. Salve salve AOS INÚMEROS BONS ESCRITORES  DAQUI.

DIA DO ESCRITOR 24/7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *