AS DUAS AMÉRICAS–A diferença.

AS DUAS AMÉRICAS- a diferença

No livro o “inverno da nossa desesperança”- o famoso escritor Nobel em 1962 de Literatura, John Steinbeck relata a divisão da América em duas.

Uma preza a moral e os bons costumes e vivem um sonho ideal e uma missão civilizatória real— É a América do Norte, POR ÓBVIO, excluindo-se o México..

A outra é marcada pelo comportamento angustiante dos sobreviventes, cada um lutando por seu lugar ao sol. Isso vemos pelo apego à derrocada da Reforma da Previdência, pela maioria do povo desta América.(Argentina, Venezuela, Colômbia e Brasil)

No livro o autor desce ao abismo da existência humana e relata a grande diferença de ideias e princípios morais entre as duas Américas.

A poucos dias lá, a solução foi invertida, o governo dos EUA queria baixar os descontos da previdência e os parlamentares, ouvindo o povo, não aceitaram.

Na América que vivemos, imagina-se que o conforto material, o dinheiro, resolve todos os problemas, trás soluções imediatas a todos. *Eu escrevi IMEDIATAS.

E assim, vivemos aqui tempos de valores líquidos e escolhas incertas.

E lendo esta obra prima do gênero observo no íntimo de nossas condutas, a semente dos nossos próprios erros e da nossa própria condenação.

O escritor Jeverton Lima, autor do livro “Os Olhos do Mundo” é enfático: “Para se ter um lugar ao sol, convém primeiro, erguê-lo dentro de si”.

*BOM FIM DE SEMANA A TODOS. Hoje vou ao aniversário de meu sobrinho neto Rafael A.Cunha.(dois aninhos só)O mundo é dele.

CRIAR HERÓIS PODE FEDER

Em toda crise aparecem os vilões e logo os heróis.

Quando se condena, logo se absolve, ou vice-versa. Os vilões de outrora passam a serem heróis. Salvadores da pátria.

Sempre, em todos os governos, o povo vem criticando os governantes. Raríssimos estiveram na preferência da maioria e aqueles que ganharam o status de bons governantes, eram na verdade, lobos vestidos de cordeiros e que a história, através do tempo acabou por desmascará-los.

Abraham Lincoln disse: “Pode-se enganar a todos por algum tempo; pode-se enganar alguns por todo o tempo; mas não se pode enganar a todos todo o tempo”.

Hoje se diz que o alegre Lula tinha ideias certas em cabeça torta. E que sua substituição por Dilma, foi uma jogada para quatro anos e que ela, acabou não honrando.

Há quem suspire por um herói como Brizola não ter conseguido eleger-se Presidente.

E assim, de arrependimento em arrependimento vamos recuando até o início da República, quando não elegemos Rui Barbosa, para eleger um marechal.

E de política em política, de economia em economia vamos buscando culpados e injustiçados.

Agora estamos na iminência de enfrentar as URNAS, esse tigre maldoso, duvidoso e até estranho para muitos.

Não adianta correr do tigre, ele é veloz e perigoso, então o negocio é nos preparar, nos armar para enfrentá-lo no dia certo, não com culpa, mas com seriedade, responsabilidade.

Pois não estamos fazendo nada por nós, estamos fazendo por nossos filhos, netos, amigos, vizinhos, nosso povo, nossa gente, nossa nação. Nós vamos “bailar” um dia, mas a nação fica e é nela que viverão nossos descendentes e é nela que temos que pensar, proteger e lutar.

E não adianta estar malhando vilões e SUSPIRANDO POR HERÓIS.

*Se Cristovam Buarque se candidatar—vou com ele sem dúvida.. Ele quer EDUCAÇÃO, é EDUCADOR, SÉRIO, RESPONSÁVEL, SENADOR CORRETO, INCORRUPTÍVEL, é só disso que precisamos. NADA MAIS… EDUCAÇÃO é TUDO. O resto é o resto.

**Mas sei que não sabemos votar e que um aventureiro, demagogo pode APARECER como salvador da pátria, como outros que já andaram por aqui e acolá e a M.. está feita. Vai feder por mais quatro anos ou mais.

 

MEMÓRIA INSANA.

MEMÓRIA INSANA.

Poucos, hoje em dia, viveram os horrores da 2ª. GRANDE GUERRA MUNDIAL.

Foi em 1944, ano que nasci. Isto é, há 73 anos e pouco.

E foi sobre o pobre do Japão, um pequeno país metido a briga militar que não tinha nada que se meter  entre os grandes, Rússia, Alemanha,  Estados Unidos e outros.. E deu no que deu.

73 anos já se passaram e ainda é pouco tempo para avaliar o que fizeram em Hiroshima e Nagasaki. A poeira ainda não baixou.

Em recente entrevista de um sobrevivente, vimos claramente que as feridas ainda não fecharam bem.

Quem bate esquece, mas quem apanha não esquece nunca—essa é uma teoria minha, mas não vejo como contrariá-la.

Quando os escritores e historiadores escreverem a história de nossa geração no Brasil, também vão ter muito que falar.

Nossos netos e bisnetos vão ter uma visão aterrorizante de seus antepassados neste país e nessa história vão saber que foi fichinha Nero ter incendiado Roma e até de Pilatos ter ordenado a crucificação de Cristo e que a Grande Guerra foi um brinquedo de loucos.

É difícil mesmo, qualquer mente medianamente honesta e culta aceitar os males que vemos  nos escândalos da Lava Jato e alhures.

Ninguém ainda levantou quantos mortos tivemos neste período por falta de assistência em hospitais e UPAS, nas péssimas estradas e na insegurança das pessoas, sem falar na ignorância por falta de cultura e ensino. Serão milhões certamente. Nenhuma guerra matou tanto. E ninguém perdeu o sono.

Em 1944, o General Truman (EUA) ordenou o aniquilamento completo de duas populações inteiras. E nem perdeu o sono.

Setenta anos depois, vemos não apenas o aniquilamento de duas cidades, mas de todo um País de mais de 200 milhões de habitantes e tem gente ainda que gosta dessa turbe criminosa de malfeitores da pátria.

Ou lhes falta cultura ou lhes falta memória. Ou ainda, pior, são parceiros criminosos.

NOSSA ECONOMIA

NOSSA ECONOMIA

Por sermos um país de dimensão continental, o 5º maior do mundo, nossa economia varia constantemente e disso já estamos acostumados a ver e sentir.

Para os leigos, que é a grande maioria, vemos que gostam de postar “colas” e opiniões em nada embasadas. Leigo deve saber que é leigo, isso é, desconhece profundamente o que é uma economia flutuante e uma economia estabilizada.

Segundo estudos de especialistas do governo e institutos credenciados, em 2018 teremos uma economia mais pujante.

O governo optou por baixar a taxa SELIC e assim os juros se manterão ao longo do ano e o comércio será mais ativo, pois a inflação está estabilizada e controlada. Essa é a verdade!

A taxa de desemprego vai cair, por lógico. Teremos mais gente empregada e satisfeita. Isso apesar da orgia dos gastos públicos do governo federal em detrimento da miséria dos governos estaduais.  Considerando nosso imenso país, sair da catástrofe econômica foi uma vitória, apesar dos pesares.

E como temos memória curta e somos alegres e divertidos, pois gozamos até com a miséria e o preço dos combustíveis, então vamos esquecer tudo e nos contentar com essa estabilidade que vai depender das eleições deste ano.

Não tem choro e nem brabeza, sabemos que 50% dos atuais parlamentares vão ser REELEITOS, e isso vai comprovar nossa INCAPACIDADE de querer e desejar MUDANÇAS.

Muitos corruptos continuarão corruptos e agitando e contaminando o “saco de batatas”. Até todo “saco” ficar contaminado, podre.

Embora nossa história não seja e nunca foi honrada, precisamos mantê-la VIVA, POIS A DESGRAÇA AINDA NÃO PASSOU e nossa grande PROVA serão as URNAS.

Nunca uma URNA falará tão alto como este ano. Elas vão TRADUZIR exatamente como SOMOS e quem SOMOS. AGUARDEMOS.

PRISÕES FEDERAIS

PRISÕES FEDERAIS

Em boa hora o governo anuncia mais 5 prisões federais, completando assim 10 em todo país.

Um país que constrói prisões é um país em colapso. Mais ainda quando os habitantes deste estranho e funesto mundo criminal aumentam bem mais que a própria população do país.

O ideal seria o governo FEDERALIZAR todos os presídios.

Abrir concurso para RECUPERAR presos (agentes, psicólogos. psiq. assist.sociais)e construir oficinas aproveitando a mão de obra dessa gente vadia.

Não existe outra solução. Não me venham com alternativas de médio prazo, precisamos acabar com a ociosidade nas cadeias e penitenciárias.

Concomitantemente a este projeto, obrigar a educação infantil e após os 14 anos preparar o jovem para o trabalho técnico até os 16 anos.

Se tiverem interesse num país melhor, coloquem o Exército Nacional na educação e em 20 anos teremos um país de 1º. Mundo .Disciplina é tudo

O BRASIL DOENTE TEM C URA?

O BRASIL DOENTE TEM CURA?

 

Diz-se que precisamos adentrar o lado “claro”, o lado certo, limpo, correto.

 

É um lado sem geografia. Em todos os lugares ele deve ser claro.

 

A não ser para quem sonha com algum paraíso igualitário ainda possível. Pois nossa imaginação não tem limites.

 

Hoje é difícil conseguir uma paz total, uma separação do bom e do mau. As coisas e fatos passam se misturando no nosso cotidiano.

 

Nunca fomos, aqui no Brasil, um jardim de inocentes. Nunca fomos uma raça diferente, até porque não temos uma raça definida, somos uma miscigenação avançada, uma mistura de raças, o que nos faz, por outro lado, uma raça a ser ainda estudada.

 

Não se enganem, nunca fomos uma reserva de candura, sempre fomos ineficientes, mas simpáticos, e ironicamente um pais rico com mania de pobreza. Um país doente.

 

Nunca fomos uma potência, mas temos tudo para ser. Há remédios e cirurgias para isso.

 

Nossa história é cheia de canalhices esquecidas, mal contadas por historiadores relapsos.

 

Vimos anistias absurdas de ex-revolucionários e apátridas.

 

Será o nosso apego à pátria uma desculpa para aceitar o que é inviável e até pitoresco?

 

A pior poluição é a miséria e a pior miséria é uma economia envolta em corrupção ativa e passiva.

 

Mas se não podemos mudar nossa espécie humana, então precisamos que a espécie mude. E a espécie só muda com educação e disciplina, trabalho, ordem e progresso.

 

“O Brasil brasileiro” de Ari Barroso—nos diz Veríssimo—acabou.

 

E povo sadio e lugares higienizados estão escassos no velho hospital da república.

Parece que todos ficaram loucos. E lá virou um hospício. Mas de sem-vergonhas!

VOCÊ É MEU AMIGO?

VOCÊ É MEU AMIGO?

 

Os tempos são outros. A amizade foi banalizada. Alguém já parou para pensar que às vezes o sinônimo de amigo pode ser, na verdade, antônimo?

 

Há amizade por tudo, mas será que são amizades mesmo?

 

Nos dias de hoje isso parece normal. Mas todos sabem que essa palavra é escrita á vontade, até por prazer, para quebrar o gelo, mas que é falsa isso ai,

É até uma hipocrisia chamar alguém de amigo, quando na realidade não sentimos essa amizade assim.

 

Não perdoamos nenhum deslize dessa amizade fajuta. Qualquer que seja o motivo suspendemos a amizade, deletemos ou excluímos de nossas relações.

 

Amigo mesmo, sabemos ser outro sentimento.

 

No dicionário é substantivo feminino, sentimento, afeto, reciprocidade, benevolência, amor.

 

Mas sabemos que amizade, amigo, vai muito além de regras, leis e até amor que é um sentimento forte, mas que por qualquer motivo muda completamente o sentido.

 

Uma amizade verdadeira só acaba com a morte ou vai além dela, dizem os estudiosos.

 

Assim na vida temos muitos tipos de amizade, a interesseira, a sensual, a filial , a de parentesco e a amorosa. Cada uma com suas peculiaridades.

 

Mas amizade sem conhecer a pessoa, sem olhar em seus olhos, sem tocá-la uma vez só, é quase impossível. Amizade platônica não existe, é ilusão, é infantilidade, é falsa, é  bobagem.

 

A verdadeira amizade lhe dá segurança, confiança.

 

Nunca lhe trai, nunca lhe condena, nunca lhe aborrece e jamais deixa de acreditar em você.

 

Ser rodeado de amigos é muito lindo, mas quando temos centenas, milhares que nunca vimos ai é de se perguntar: será?

 

MAS SENÃO TENTARMOS COMO SABEREMOS, NÃO É?